Header AD

i

Arquivo X - Matéria Especial


Aproveitando que estamos no mês de Setembro, mês em que fora ao ar nos Estados Unidos o primeiro episódio de “Arquivo X” em 1993,  este é o primeiro de uma série de textos que falam um pouco sobre a história deste que é um dos seriados mais influentes da televisão. Também publicarei comentários sobre cada episódio de cada temporada aos poucos. Espero que os textos motivem discussões e debates para os fãs da série como eu e desperte a curiosidade para os que não conhecem o seriado, que está disponível na Netflix.

Arquivo X” estreou na Fox norte-americana em 10 de setembro de 1993 de maneira discreta. Com o tempo a série conquistou fãs fieis e atraiu a atenção de muitas pessoas, ganhando projeção mundial e tornando-se fenômeno de audiência, recebendo inúmeros prêmios importantes, entre eles o Globo de Ouro e o Emmy. Foi um raro caso de uma série que nascera para ser cult, mas que se tornara extremamente popular.



A série contou com nove temporadas regulares de 1993 a 2002, compondo 202 episódios, e uma décima temporada que foi ao ar em janeiro de 2016 contando com seis episódios, dois filmes também foram produzidos: “Arquivo X – O Filme”, de 1998, e “Arquivo X – Eu Quero Acreditar”, de 2008.

Arquivo X” trata do cotidiano de investigações de dois agentes especiais do FBI, Fox William Mulder (David Duchovny) e Dana Katherine Scully (Gillian Anderson), responsáveis pelos Arquivos X, departamento para onde vão os casos que envolvem fenômenos paranormais, de difícil solução e em sua grande maioria jamais resolvidos.

Na época que "Arquivo X" foi lançado a produção para a TV era dominada pelos seriados de comédia, os sitcoms, como “Os Simpsons” e “Um Amor de Família”. Excetuando "Jornada nas Estrelas" e as muitas séries derivadas desta, nenhum seriado de ficção científica chegara a ser sinônimo de sucesso. Talvez um seriado mais ousado e que pode ter aberto o caminho para "Arquivo X" foi “Twin Peaks”, que fugiu dos padrões dominantes da época,  é hoje um clássico absoluto e tem grande importância para a história das produções televisivas.

Entre monstros da semana e Objetos Voadores Não Identificados, além de conspirações governamentais, a série contava com o bom humor da dupla de agentes, o inigualável entrosamento entre eles e uma carga dramática completamente crível desenvolvida pelos ótimos atores. O formato do seriado seguiam os episódios chamados mitológicos, que construiam a base de uma história contínua que vem sendo contada desde a primeira temporada até a recente décima temporada. Nela estão envolvidos conspirações e arcos de história que se referenciam constantemente e são base da motivação e dramas dos personagens principais, como a abdução de Scully, a luta de Mulder em encontrar a irmã, o bebê William, etc. Os episódios chamados de casos da semana constituem casos isolados investigados pelos agentes e exigem pouco ou nenhum conhecimento sobre os detalhes da mitologia construída.



O relacionamento entre os dois personagens se estabeleceu por muito tempo unicamente na dimensão profissional, destacando-se a crença quase cega de Mulder nos fenômenos paranormais, causada pela abdução e desaparecimento de sua irmã durante a sua infância, e a fé católica de Scully, formada em Medicina e Física e busca sempre explicações racionais e científicas para os fenômenos investigados.

Na época a Fox, que buscava diversificar a sua grade de programas, não supunha o sucesso do programa, considerando suas tramas relacionadas, teorias científicas, conspirações e uma sensação de que as explicações deixavam mais dúvidas do que respostas como dificuldades para o entretenimento dos espectadores.

O criador da série, Chris Carter, jornalista que escrevia para uma revista de surf, teve como base um outro seriado do passado para criar "Arquivo X": “Kolchak e os Demônios da Noite”, série produzida nos anos 70 pela ABC que acompanhava Carl Kolchak, um repórter que lutava contra um assassino a cada semana, tal como vampiros, lobisomens, monstro do pântano ou Jack, o Estripador e terminava o dia sem provas do que havia acontecido. Carter construiu em "Arquivo X" uma mistura única entre ficção científica, terror e policial.

O que você espera desse filme? Comente e dê sua Nota... Ajude o www.setimaart.com e os outros internautas!
Arquivo X - Matéria Especial Arquivo X - Matéria Especial Reviewed by Gustavo Jacondino on 15:40:00 Rating: 5

Nenhum comentário

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do Site, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor do www.setimaart.com reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.


>

Ads Top