Header AD

i

Bullying - Provocações Sem Limites - Crítica



Apesar de já ter comentado sobre o assunto objeto deste texto em meus blogs Acervo do Cinema e Blogcine, há sempre novos leitores visitando os blogs e é sempre bom destacar um filme que trata de um tema tão atual e que ganhou espaço na mídia recentemente às custas de um triste episódio.

Agressões, xingamentos, humilhações, exposição forçada, todas essas coisas entre tantas outras são definidas como bullying, uma palavra estrangeira que acabou sendo incorporada ao nosso vocabulário. Ela ganhou destaque nos últimos anos devido ao número elevado de ocorrências de violências verbais e físicas em ambiente escolar. Esse tema polêmico e assustador, além de ganhar as manchetes de jornais, agora também tem um registro digno na história do cinema. Bullying - Provocações Sem Limites é uma produção espanhola que apresenta um retrato cruel de uma geração cujos representantes estão cada vez mais arredios.

O filme conquista o espectador pelo excelente roteiro que mete o dedo nessa ferida sem ter medo que ela sangre, mostrando até as últimas e tristes consequências que esse problema pode levar. A história mostra o jovem Jordi (Albert Carró) começando a estudar em uma nova escola e por ser a novidade da turma e muito quieto os valentões aproveitam para agredir, humilhar, enganar e se aproveitar do rapaz. O líder da gangue é Nacho (Joan Carles Suau), um mau caráter que chega ao cúmulo de conquistar a simpatia da mãe da vítima só para poder ter passe livre em sua casa, assim dando continuidade a tortura iniciada no ambiente escolar.


O estudante também tem contato com um vizinho, Bruno (Carlos Fuentes), que mesmo recebendo apenas desprezo por parte de Jordi está sempre por perto nos momentos em que o rapaz precisa e parece compreendê-lo. Porém, tudo que o jovem engole de mágoas provocadas pela gangue acaba descarregando justamente no seu "anjo da guarda", pois sabe que ele só quer ajudá-lo e não vai revidar. 

As humilhações e agressões exibidas são revoltantes. Dá até vontade de entrar no filme para dar um jeito nos valentões, que na verdade morrem de medo de serem denunciados. Eles conseguem sempre se safar do pente fino dos professores e da diretora do colégio, aliás, ela é um exemplo de má administração. E mesmo a mãe de Jordi percebe tardiamente tudo o que está acontecendo.


Bullying - Provocações Sem Limites deveria se tornar um filme obrigatório para as escolas e universidades apresentarem aos alunos e depois promoverem debates, inclusive com os pais. É preciso dedicar atenção especial ao tema  e tentar identificar os perfis de possíveis agressores e vítimas a fim de evitar grandes problemas no futuro, até mesmo mortes. Infelizmente, o longa não abre espaço para discutir como a justiça lida nesses casos em relação a responsabilidade de alunos e da própria escola perante denúncias que, no mínimo, renderiam penas por danos morais. Faltou pouco para ser uma obra nota dez.

O que você espera desse filme? Comente e dê sua Nota... Ajude o nosso Blog e os outros internautas!
Bullying - Provocações Sem Limites - Crítica Bullying - Provocações Sem Limites - Crítica Reviewed by Guilherme Z. on 10:37:00 Rating: 5

Post AD


Ads Top